FacebookTwitter

Eu acho estranho …

By on mar 8, 2016 in Coisas do Alto | 3 comments

Share On GoogleShare On FacebookShare On Twitter

eu-acho-estranho

Existem temas tão recentes e tão diferentes, que muitas vezes temos dificuldades em fazer uma avaliação simples entre “certo” e “errado”. Isso tudo é agravado pelo relativismo da sociedade atual, onde o que é certo para mim pode ser errado para você, e onde o que é bonito para você pode ser inaceitável para mim. Desta forma o diálogo sobre determinado comportamento vai sempre do objetivo para o subjetivo, ou seja, apesar de as discussões normalmente envolverem muitos pensamentos e opiniões, há poucos argumentos concretos que nos permitam chegar a uma avaliação definitiva.

Entre estes temas existem também alguns em que a Bíblia não dá uma ordem ou avaliação específica, o que só agrava a questão para nós, que buscamos viver na vontade de Deus. Para estes temas, como não consigo definir minha posição com convicção, posso apenas dizer “eu acho estranho” isso, ou “eu acho estranho” aquilo.

Eu acho estranho alguém que quer conhecer a Deus e fazer a sua vontade tenha prazer em ver filmes onde a violência é o tema principal. Não consigo entender a diversão que existe em assistir  cenas de morte e assassinato banhadas em tons de vermelho, filmes que nos levam a torcer pelo mocinho que teve a sua família assassinada, e que agora busca a vingança a qualquer custo. Filmes em que toda uma cidade ou nação é destruída, mas que teve um final feliz, pois o protagonista conseguiu salvar a sua amada e agora todos estão sorrindo. Nada mais importa. E a pipoca estava ótima.

Eu sei que é somente um filme – entretenimento, afinal. Todos são atores, ninguém morreu de verdade, o sangue é de mentira, e a grande maioria das cenas foi feita à frente de uma tela verde. Nada como um bom filme para relaxar. Mas ainda assim eu acho estranho.

Eu acho estranho alguém que busca ser discípulo de Jesus querer se exercitar se tornando um soldado ou assassino em um jogo cujo objetivo é obter pontos aniquilando pessoas. Um tiro na cabeça vale mais que um tiro no peito. Matar é divertido. Aliás, atirar na cabeça é muito legal, espalha os miolos na parede. Os gráficos são perfeitos, e na versão 3D, você realmente se sente dentro do jogo. As crianças se divertem muito – jogar faz bem para eles.

Eu sei que é somente um jogo, e que, segundo as pesquisas, isso não vai tornar você uma pessoa mais violenta. Também sei que jogar em frente à TV é bom para exercitar o cérebro e melhora os reflexos. Mais ainda assim eu acho estranho.

Eu acho estranho alguém que quer obedecer ao mandamento “Ame ao seu próximo como a si mesmo” goste de assistir a esportes onde o objetivo é infligir sofrimento ao adversário. Disputas onde os braços e pernas se chocam visando a lesão, e onde um golpe na cabeça pode levar o adversário a desmaiar e assim encerrar a competição com maestria: “knock-out”. O sangue é o tempero. Dá um toque especial. Rostos inchados e hematomas são um troféu à parte.

Eu sei que é somente um esporte e que, apesar das aparências, os lutadores não se odeiam e não querem se matar. Sei também que é uma profissão, uma carreira. É um trabalho exige grande dedicação e preparo físico, sendo também o ganha-pão dos atletas. Mas ainda assim eu acho estranho.

Nenhuma destas coisas é explicitamente proibida na Bíblia. Também não há princípios claros que possam classificar essas atitudes como erradas. Sei que “todas as coisas me são lícitas”, e que “não devemos julgar o nosso irmão”, pois afinal, “o homem vê o exterior, e só Deus vê o coração”. Posso citar as referências, se quiser.

Assim, eu não posso dizer que fazer estas coisas é errado.

Só posso dizer que acho muito, muito estranho.