FacebookTwitter

O ventilador e o gerador eólico

By on out 16, 2015 in Coisas do Alto, Igreja | 2 comments

Share On GoogleShare On FacebookShare On Twitter

Algumas coisas que ouvimos nos fazem parar e pensar com calma durante muito tempo. Esse texto tem origem em uma analogia usada pelo Pr. Paulo Junior em uma palestra, cujo conteúdo pode ser ouvido em sua íntegra neste link. Tento aqui explorar e ampliar a aplicação do conceito apresentado.

gerador-eolicoO ventilador e o gerador eólico são muito parecidos em sua forma, porém totalmente diversos em sua função. Quando não estão funcionando podem até ser confundidos, pois ambos têm pás, ambos trabalham com eletricidade, ambos trabalham com o movimento do ar. Porém na sua operação são completamente distintos: o ventilador tem como função gerar vento a partir da energia elétrica, enquanto o gerador eólico tem como função gerar energia elétrica a partir do vento.

O ventilador define qual a direção o vento que ele gerou irá soprar, a sua intensidade, e também o momento em que a sua ação vai iniciar e terminar. O gerador eólico está sempre à procura de algum vento que pode vir, a princípio, de qualquer direção e com qualquer intensidade. Ele pode se orientar para todos os lados, procurando sempre o máximo aproveitamento do vento que incide sobre ele.

ventiladorA Bíblia compara várias vezes a ação do Espírito Santo ao sopro do vento, notadamente em João 3, onde Jesus diz que “o vento sopra onde quer. Você o escuta, mas não pode dizer de onde vem nem para onde vai. Assim acontece com todos os nascidos do Espírito”. O Espírito Santo apareceu em meio a um forte vento no Pentecostes (Atos 2), e em Ezequiel 37 Deus coloca os ossos secos em pé através de seu sopro, que é o seu Espírito.

Da mesma forma, somos convidados a aplicar todas as nossas forças no trabalho do Senhor, “pregando a tempo e fora de tempo” (2 Tm 4) e a “amar a Deus … com todas as nossas forças” (Marcos 12).

Assim, de forma similar, devemos estar atentos ao modo como servimos a Deus. Podemos trabalhar como o ventilador ou como o gerador eólico.

É muito comum aplicarmos os nossos esforços (energia) tentando gerar a ação do Espírito na vida das pessoas (vento). Quando trabalhamos desta forma estamos tentando definir como Deus vai agir na vida das pessoas e de que forma. Montamos nossas estratégias e usamos a nossa energia procurando gerar um vento forte em uma determinada direção, com um horário para começar e um horário para terminar. Apontamos esse vento na direção das pessoas que entendemos que devem ser atingidas. E assim esgotamos nossas energias produzindo – muitas vezes – um resultado totalmente artificial. Estamos trabalhando como um ventilador.

Quando estamos dispostos a trabalhar como um gerador eólico, ficamos atentos à ação do Espírito Santo ao nosso redor durante todo o tempo. O que Deus está fazendo? Como Ele está agindo? Posso sentir a ação do Espírito Santo na vida das pessoas? Em qual direção? Assim podemos orientar as nossas “pás espirituais” nessa direção, e receber a energia gerada pelo movimento do vento.  As estratégias são montadas conforme a direção do vento, e nunca são rígidas, pois o importante é agir na direção do Espírito Santo, quando Ele quer e na direção que Ele quer. A energia captada pela ação do Espírito Santo é usada para mover o Corpo de Cristo – a Igreja – na direção que Deus quer. Quando trabalhamos desta forma, não ficamos esgotados e desanimados, mas sim com nossas energias renovadas. É difícil querer parar de trabalhar quando vemos a ação de Deus.

Ambas as formas de trabalho tem requisitos. Trabalhar como um ventilador requer energia, organização, cumprimentos de planos de trabalho. Trabalhar como um gerador eólico requer sensibilidade ao Espírito Santo, disposição para mudar de direção a qualquer momento, e a trabalhar a qualquer instante. Requer da Igreja unidade no Senhor, e trabalho em conjunto, não para aumentar a energia, mas para garantir que todos estejam atentos e entendendo – em unidade – o que Deus requer de cada parte do seu corpo.

Trabalhar como um ventilador esgota a nossa energia. E ao final nos faz pedir “um tempo” para descansar um pouco.

Trabalhar como um gerador eólico nos revigora. Ficamos atentos para sentir quando é que vai ventar de novo, e assim voltarmos a gerar energia.

A escolha é sua, líder. Como você quer trabalhar? Como um ventilador ou como um gerador eólico? Está começando a ventar …